Sobre

Graffiti \Graf*fi"ti\, s.m.
desenhos ou palavras feitos
em locais públicos. 
Aqui eles têm a intenção de 
provocar papos sobre TI e afins.

O Graffiti mudou!

Visite a nova versão em pfvasconcellos.net

Codinome: ABAETETUBA - tupi: um monte de gente boa.



Sumário Executivo

Ninguém mais questiona o poder aglutinador da Internet. Pesquisas recentes mostram que os internautas gastam algo entre 30% e 40% de seu tempo trocando e-mails ou em sites de comunidades virtuais e grupos de discussão. Fenômenos relativamente novos como o LinkedIn, Orkut e similares comprovam que não se trata apenas de uma tendência. É um padrão de uso consolidado.

Um dos principais atrativos do Orkut é a possibilidade de criação de Comunidades Virtuais. Seus milhões de usuários se reúnem em dezenas de milhares de comunidades. Há fã-clubes, grupos técnicos, encontros de ex-colegas (de escola ou trabalho) além de associações pouco comuns no mundo real, como "Tocava a Campainha e Corria". São notáveis, também no Orkut, as diversas Comunidades de pessoas que vivem em um mesmo bairro ou cidade. É paradoxal que estejamos conversando com nossos vizinhos através de um veículo que cobre o mundo todo.

Parece que todo projeto Web nasce com a obrigação de ser 'World Wide'. Escopo tão amplo impossibilita a disponibilização de uma enorme quantidade de serviços que só fazem sentido em uma limitada área geográfica. As empresas, há algum tempo, utilizam (geralmente mal) suas webs particulares chamadas Intranets. O projeto ABAETETUBA se propõe a criar uma Intranet para uma cidade ou bairro; ou, visto de outra forma, a ser uma Local Area Web.

Serviços

A ABAETETUBA deve ser uma versão virtual, a mais fiel possível, da área geográfica que representa. Todas as construções, áreas verdes, vias e monumentos seriam 'copiados' para o mundo virtual, em uma visualização parecida com aquela do game SimCity.



Os habitantes interessados em 'nascer' na versão virtual de sua cidade (bairro) se cadastrariam no sistema, sem nenhum custo. Um documento do mundo real pode ser utilizado como identificador único no mundo virtual. No momento do 'nascimento' o novo habitante configura seu perfil de acesso definindo, principalmente, o grau de privacidade e o nível de sossego que deseja ter no novo mundo.

Comerciantes e prestadores de serviços podem assinar convênios (obter alvarás) para participar de ABAETETUBA. Além da localização da loja, oficina ou escritório na versão virtual da cidade (bairro), o Vendedor obtém uma versão digital de seu próprio estabelecimento. Vitrines, menus e portfólios passam a ser acessados integralmente através do site. Desenha-se assim a primeira e principal fonte de receita do projeto ABAETETUBA, a comissão dos 'Vendedores'. Em uma versão mais completa, ABAETETUBA oferece toda a logística de coleta e entrega de bens físicos. Utilizaria motocicletas ou, preferencialmente, bicicletas. Os fretes podem ou não estar embutidos nas comissões. Tal questão pode ser definida individualmente por 'alvará', dependendo do perfil do negócio. No mundo ideal de ABAETETUBA é possível o tal “imposto único”.

Aos prestadores de serviços (médicos, mecânicos, bombeiros, dentistas, pintores etc) o principal benefício oferecido pela ABAETETUBA é uma agenda I2 (Inteligente e Interativa). Clientes podem verificar a disponibilidade dos profissionais, agendar eventos, indicar urgências e assim por diante. Uma comissão por transação (ou uma taxa mensal) é cobrada de todos os prestadores de serviços conveniados.

É importantíssimo notar que, como no mundo real, habitantes e empresas de ABAETETUBA mantém relacionamentos de “todo-mundo com todo-mundo” (N:N, aos DBA’s e afins – sorry... papo restrito). Daí que é possível, ou melhor, desejável que as empresas e prestadores de serviços relacionem-se. A mesma logística de entregas e/ou agendamentos aplica-se para as empresas. Outros relacionamentos importantíssimos são aqueles do tipo “quem estuda onde”; “quem trabalha onde”; e assim por diante.

Instituições e órgãos públicos podem participar de ABAETETUBA sem nenhum tipo de custo. Serviços públicos podem ser oferecidos em uma versão on-line. ONG’s e instituições filantrópicas gozariam dos mesmos benefícios. Faz sentido que os serviços (e amolações) das instituições públicas tenham uma representação no mundo virtual, mas não se trata de um requerimento obrigatório (até pq até quando "doamos" alguma coisa há muita burocracia).

A segunda fonte de receita de ABAETETUBA é proveniente da venda de espaço publicitário. Ao contrário dos tradicionais (e chatos) ‘banners’, o mundo publicitário em ABAETETUBA é tão amplo quanto no mundo real. TV’s, rádios, out-doors, celulares, flyers, revistas, jornais... Tudo pode existir em ABAETETUBA.

O modelo de ABAETETUBA (o Biz Plan) é bastante extensível. Outras fontes de receitas (leilões, guias, aluguéis, cursos, seguro,,,) podem ser agregadas com o tempo. Tudo dependerá das necessidades da População, certo?

Construção

A construção de ABAETETUBA é, tecnicamente falando, uma empreitada hercúlea. Afinal, se fosse fácil ela já existiria. Mais do que nos dois planos de negócio publicados anteriormente, é fundamental a utilização do maior número possível de ‘blocos de construção’ provenientes do mundo do Software Livre. A infra-estrutura básica é idêntica àquela sugerida como um dos produtos do BizPlan LAURÉ. Ou seja:
.GNU/Linux (qq distribuição, como a Mandriva)
.Apache (servidor Web)
.Tomcat (container para execução de Servlets Java)
.JBoss (servidor de aplicações J2EE)
.OpenCMS (gerenciador de conteúdo).
.MySQL (gerenciador de bancos de dados)
.OpenLDAP (serviço de diretório - autenticação)
.Liferay (servidor do portal, tipo MyYahoo!)

A porção mais complexa do projeto será sua interface gráfica. A funcionalidade requerida exige a utilização de um construtor de interfaces avançadas, como o [Adobe]Macromedia Flash MX. É desejável que a visualização inicial de ABAETETUBA seja uma representação de toda a área abrangida. Várias fotos e plantas podem ser necessários para a construção da maquete virtual. Lógico que como em qualquer tipo de software, deve ser possível lançar versões mais avançadas (e, principalmente, bonitas) da cidade (bairro) virtual. As interações cidadãoXempresa, cidadãoXcidadão devem ser naturais e replicar com a máxima fidelidade possível as interações que ocorrem no mundo real. Ligações telefônicas, espiadelas nas vitrines, fofocas e anúncios. É legal tentar prever todos os tipos de interações possíveis. E atentar para o fato de que chats, e-mails, messengers e afins ganham um contexto novo em ABAETETUBA.

ABAETETUBA também pode ser acessada através de dispositivos móveis, como celulares e palm-tops. A interface deve se adequar ao maior número de dispositivos possível. Aqui é interessante lembrar que mais de mil localidades no Brasil contarão com telecentros de uso gratuito dentro de algum tempo. Ou seja, quanto maior o número de “portas” maior será o número de possíveis habitantes virtuais. Outro facilitador importante estará disponível em praticamente todo lugar nos próximos anos: as redes wireless (sem-fios).

Uma versão avançada deve permitir inclusive a localização de uma pessoa via tecnologia GPS (como uma operadora de celular já oferece). O único cuidado aqui deve ser com o grau de privacidade que o cidadão virtual configurou para si.

É também o grau de privacidade (que deve ser muito detalhado) que determinará o número e tipo de informações sobre o cidadão que serão mantidas pelo sistema. Preferências em restaurantes e videolocadoras são informações que só beneficiarão o habitante. Afinal tais informações podem permitir que as empresas e prestadores de serviços atendam aos habitantes de forma mais Personalizada, Ágil e Inteligente.

Outro fator extremamente crítico para o sucesso de ABAETETUBA é sua capacidade de interação com o mundo externo (real). As transações financeiras deveriam ser intermediadas por instituições financeiras (de verdade). Sistemas existentes (para controle dos estoques das lojas, por exemplo) devem ter sua integração com ABAETETUBA facilitada. O ideal aqui é a exposição de Interfaces Programáveis (API) e/ou Web Services. Ao contrário do que ocorre na maioria das Intranets corporativas (que são muito conservadoras), ABAETETUBA não ignorará a existência da Internet. Ela pode (deve) se relacionar com outras “versões” do mundo virtual. Inclusive, pq não, com outras Abaetetubas.

Por fim é importante lembrar a importância da extensibilidade da PLATAFORMA ABAETETUBA. Deve ser muito fácil incluir novas empresas, construções, serviços etc. Não só a estrutura, mas também a dinâmica de uma cidade (bairro) deve ser integralmente respeitada.

Produtos

A ABAETETUBA pode ser comercializada como uma grande plataforma de prestação de serviços, algo que há algum tempo atrás era chamado de "Infomediário". Neste modelo devemos seguir o que foi descrito no tópico Serviços acima.

O dinamismo e a extensibilidade requeridos pela ABAETETUBA favorecem a decisão de torná-la uma solução totalmente aberta (código e modelos). Seria uma espécie de Open Franchising. Uma variação das licenças GPL (General Public License) ou Creative Commons pode ser criada para obrigar que todos os provedores de serviços ABAETETUBA remetam suas alterações e evoluções para um repositório central. Mas como uma 'Franquia Aberta', não deveriam existir pagamentos de royalties e afin$.

Mercado

As implementações de ABAETETUBA devem reconhecer e respeitar seus limites de escalabilidade. Seus grandes atrativos são a Conveniência e a Agilidade. Um prazo máximo de 15 minutos entre uma determinada solicitação e sua satisfação deve servir como parâmetro. Portanto, em uma cidade como São Paulo, por exemplo, são factíveis as versões "Av. Paulista", "Berrini", "JK", "Vila Madalena". Já cidades como Varginha-MG (com cerca de 100 mil habitantes) podem receber uma única implementação. Lá é possível se deslocar do centro para qualquer bairro dentro do limite de 15 min, aproximadamente.

Uma implementação de ABAETETUBA se prova viável quando determinado número de estabelecimentos e prestadores de serviços se comprometerem em lançar sua versão virtual. Um número mínimo, por tipo de estabelecimento, deve ser estipulado para cada cidade(bairro). Na Av. Paulista, por exemplo, seria desejável que uma versão inicial de ABAETETUBA já oferecesse:
. 6 Restaurantes e/ou Lanchonetes
. 1 Floricultura
. 1 Livraria
. 2 Salões de Beleza
. 1 Videolocadora
. 1 Locadora de Veículos
. 4 Lojas de Roupas
. 2 Lojas de Sapatos
. 3 Bares / Cafés
. 2 Papelarias / Lojas de Material para Escritórios
. 1 Gráfica 'express'
. 1 Agência dos Correios
. 1 Lan-House
. 2 Prestadores de Serviços Gerais

A configuração inicial de ABAETETUBA pode variar dependendo da localidade. O perfil da população é que deve definir seu setup. Em cidades e bairros passa a ser desejável a oferta de serviços médicos e odontológicos desde as versões iniciais do serviço. O setup inicial de ABAETETUBA deve ser produto de um prático e minucioso estudo de viabilidade (que é, em paralelo, também uma atividade de pré-venda).

Organização

A empresa ABAETETUBA é formada por 5 equipes:
. Gestão de Relacionamentos: administra o relacionamento com cidadãos e empresas conveniadas, além de ser o braço de vendas.
. Logística: cuida da execução de todos os serviços que envolvam deslocamentos de bens físicos.
. Técnica: equipe que opera, mantém e desenvolve toda a infraestrutura tecnológica de ABAETETUBA.
. Criação: cria e coordena a exibição de todas as mensagens e informações expostas em ABAETETUBA. Cuida da publicidade virtual e também da apresentação dos estabelecimentos e serviços virtuais.
. Administração: contábil, financeira, RH etc.

Investimentos

Pfiu... que dureza! Sei lá. Se eu tivesse uns R$300 mil eu investiria numa versão inicial de ABAETETUBA... certo de multiplicá-los por 5 em dois anos.Chute? Sim!

Fatores Críticos de Sucesso

5 fatores críticos de sucesso que merecem atenção, inclusive para validação do modelo aqui proposto:
. Escalabilidade e Massa Crítica: o limite máximo é bastante visível, a população total da área abrangida. Massa crítica (e ponto de equilíbrio) deve ser alcançada com a adesão de 10% da população (no primeiro trimestre de atividades).
. Comprovar seu Valor: ABAETETUBA está vendendo Conveniência e Agilidade e está promovendo Convivência e Colaboração. Cidadãos e empresas devem perceber tais valores em todas as suas interações com o site.
. Aquisição e Retenção de Clientes: Um cidadão não deve ter razão para solicitar sua exclusão da versão virtual de sua cidade(bairro). O respeito pela sua privacidade e liberdade de ação é vital. Empresas e profissionais liberais seguirão fiéis enquanto perceberem a conveniência e lucratividade oferecidas pela versão virtual da cidade(bairro).
. Canais de Vendas e Parcerias: Além da equipe de Relacionamento, o maior vendedor de ABAETETUBA é o próprio site. Uma empresa ou prestador de serviço deve conseguir um 'alvará' da forma mais ágil possível. Os principais parceiros de ABAETETUBA são as suas outras implementações. A troca de idéias, o desenvolvimento colaborativo e o rateio de investimentos são algumas das motivações para a formação de uma 'rede de franquias'.
. Educando o Mercado: SIMPLICIDADE. O cidadão deve "reconhecer" a versão virtual de sua cidade(bairro) imediatamente. E suas interações devem ser naturais, próximas das experiências no mundo real. Como se trata de algo novo, é importante que ABAETETUBA ofereça canais que ensinem seus habitantes e que também aprendam com eles.

Considerações Finais

Big Brother (1984). Matrix. A ficção científica quase sempre destaca o lado negativo do uso da tecnologia. ABAETETUBA tenta ser um pequeno 'admirável mundo novo'. Nele não precisamos de polícia, leis, juízes, detetives, vigias... advogados (ops! sorry).

Sempre que eu apresentei a idéia ouvi reclamações sobre os aspectos invasivos de ABAETETUBA. Falha minha. A versão virtual de um cidadão não precisa ser uma cópia fiel de sua versão de 'carne-e-osso'. Aliás, nem precisa saber que ela existe. ABAETETUBA é só um site que oferece múltiplos serviços que vão desde a comunicação entre seus cidadãos (como e-mails, Orkut e afins) até transações comerciais (como Submarino, Flores On Line etc). O que ele oferece de diferente é o agrupamento dos serviços e sua oferta através de uma interface mais interativa e natural.

Só não sei dizer se, com o tempo, o sistema político vigente em ABAETETUBA será a extrema anarquia ou uma democracia plena e total... rs

Versão para Download e impressão (DOC).


CC Developing Nations

Trabalho liberado sob licença Creative Commons para Nações em Desenvolvimento.


2 responses to "Biz Plan III :: ABAETETUBA"

  1. Cara, isso me lembra uma noite de chopp no Muchen. :^)

    Victor Z

  2. Cara, isso é resultado de várias noites de chopps... ;)

    Paulo Vasconcellos

Leave a Reply