Sobre

Graffiti \Graf*fi"ti\, s.m.
desenhos ou palavras feitos
em locais públicos. 
Aqui eles têm a intenção de 
provocar papos sobre TI e afins.

O Graffiti mudou!

Visite a nova versão em pfvasconcellos.net

Em 2006 completarei 20 anos de vida profissional. Meu maior patrimônio, minha memória, faz parecer que foi ontem meu mergulho inaugural nos códigos pouco legíveis do Motorola 6502. Um ano depois eu já "vendia" meu primeiro sistema: "Se a gente não entregar em 30 dias não precisa pagar". eXtreme Programming em 87, ao lado do parceiro Testa, e 20 salários mínimos pra torrar da forma mais irresponsável possível. Me orgulho de ter participado de quase uma centena de projetos nessas duas décadas - me orgulho mais ainda por ter testemunhado a entrega de uns 90% deles.

Mas meu último projeto, a ida/retorno para a XXX, foi um grande engano. Pago meus 51% de responsabilidade. Não entendi na época que minha viagem (ida/retorno) era mais ambiciosa: Varginha!

Pausa: muitos dirão que minha decisão foi motivada por comentários postados no Graffiti. Explico: qdo mostrei que a MS colocou Vga no estado de São Paulo, o Guaxupé falou que eu estava "atraindo" minha terrinha natal para SP. E meu irmão caçula comentou: "eu não queria deixar de ser mineiro..." hehehe. Pois bem, finco a âncora aqui e evito o destino saramaguiano de nossos pés de café.

Quase todos da lista aí já trabalharam comigo. Sabem que toda vez que precisei elaborar algo mais rico/criativo, fosse um plano, uma proposta, palestra ou artigo, eu corria para meu escritório/porão no Sul das Geraes. Toda vez que precisei de 'concentração', fosse para tomar uma decisão ou para debelar o stress++, me refugiei entre meus CDs, filmes, games e, principalmente, entre minha família. A troca sempre foi injusta. E oito anos aqui não pagarão os oito que passei em Sampa. Minha relação de amor e ódio com Sampa é conhecida. Periga hoje eu ter mais amigos aí (sorry.. quase todos da lista estão AÍ), do que aqui. E o que mais gosto em Sampa são as pessoas que fazem essa geringonça funcionar. (E demagogo é a senhora sua ama de leite).

Mas Sampa irrita com seu imediatismo tosco e falso. Num mundo como o nosso (de TI), que (sobre)vive na mentira do "homem/hora", é hilário perceber que vc consome 25% de seu tempo útil (receita!) no trânsito. Mas, como eu já disse, Sampa funciona! Assim como nossa área sobrevive. Basta (por hora).

Steve Jobs falou em uma de suas palestras que, de certa forma, ele "deixa a vida o levar" (uai, ele plagiou o Skank?!?! Sorry - adaptação minha). É que ele falou que só "depois", olhando pra trás e "juntando os pontos", é que vc vê quanto sentido fazem algumas decisões passadas.

Oras, toda vez que eu dei minha mínima contribuição para o PIB nacional eu estava exatamente onde estou agora, entre Três Corações e Três Pontas. Quase todas as minhas idéias "que fazem sentido" brotaram aqui, ao lado d'uma generosa goiabeira. E se eu acredito minimamente no que eu blogo, sobre as modernas tecnologias de colaboração e a irrevogável lei da liberdade da informação, o que me impede de ser produtivo aqui? O que me impediria de gerar minhas receitas onde sou, de fato, mais produtivo?

Pois bem, acabei de inverter minha relação residência/domicílio, apostando 50% das fichas na lógica e a outra metade no feeling (pra usar um termo paulistano(!?!)). Já trabalho em alguns projetos e espero, muito em breve, publicar meu 'cardápio de serviços' para todos vocês. Desnecessário dizer que conto muito com seu apoio.

Sei que o "olho no olho" é inevitável em diversos momentos de um serviço ou em milestones de um projeto. Ou seja, estarei sempre por aí, provavelmente na frequência em que estava por aqui (2x por mês, no mínimo). Ótima oportunidade para aquelas intermináveis happy-hours, não?

E baixo por aí já na próxima semana, provavelmente na sexta, para o tradicional encontro de final de ano.

Inté? Inté!

2 responses to "Resoluções para 2006 - Parte I"

  1. Ilustre Varjolense!!!
    Isso é que é Coragem! Um dia desses eu desembarco lá em Cajuru também?!?!? Mais ou menos entre os Rios Canoas, Araraquara e o Pardo....
    Muito BOA Sorte em Vrajolas!!!
    Já que não rolou a cerveja em SAMPA, vamos combinar uma cerveja no meio do caminho (Cajuru-Varginha)... Pode ser em Alfenas (Allfemeas, como é mais conhecida)??? ahahahahah

    Ronan Barrufini Cunali

  2. ilustre Cajuruense!!!
    Carece de muita coragem não. O frio na barriga passou tão logo eu coloquei os pés aqui - na terra firme. E a certeza da decisão acertada chegou com as diversas manifestações de apoio.
    "Qualidade de vida nas Geraes = Oxímoro em vias de se tornar um pleonasmo" - hehehe..

    Tks, tks. Mas o próximo chopps pode ser aí mesmo, semana q chega.
    O que não dispensa, de maneira nenhuma, visitas recíprocas. Inclusive em terras 'estranhas' como a querida Allfemeas.

    É só regulá (ou ignorá) o ricurso de minguá toada e mandá vê, certo?

    Paulo Vasconcellos

Leave a Reply