Sobre

Graffiti \Graf*fi"ti\, s.m.
desenhos ou palavras feitos
em locais públicos. 
Aqui eles têm a intenção de 
provocar papos sobre TI e afins.

O Graffiti mudou!

Visite a nova versão em pfvasconcellos.net

Chico Buarque, na última FLIP, disse que sim. E gerou uma certa polêmica. No Painel do Leitor da Folha de São Paulo teve gente falando que os livros do Chico são chatos. Céus! O cara deve gostar de Paulo Coelho. Ou de Dan Brown, sei lá. Mas o papo aqui é outro: escrever é chato?


Só quando tudo o que você não quer fazer é escrever. Só quando escrever é só uma obrigação. Assim, lógico, o ato de escrever se torna a coisa mais chata do mundo.

Sempre gostei muito de escrever - apesar da nítida falta de domínio da principal ferramenta do escritor: a língua. Mas é por gostar de escrever, por ser teimoso e cara de pau, que tento manter 'n' blogs, twitters, grupos de discussão e afins. E por isso prometi um livro. Aqui começa o problema.

Já é famosa a "briga" de Chico com seus editores. Sempre há um prazo. E Chico é um perfeccionista. Se não existir um prazo, ele nunca terminará um livro. Um prazo, um compromisso, é sempre necessário. Mas o preço é caro: a obrigação, aquele deadline, pode tornar o processo de criação uma chatice.

Já escrevi 4 vezes o mesmo livro. Poucos puderam ver uma primeira versão. Os mesmos viram alguns capítulos da última versão. Ou seja, as outras duas versões foram parar no lixo! Mas, creia, esse processo todo é muito legal, até prazeroso. O problema é a eterna sensação de que muita coisa ainda pode ser melhorada. "Escrever é editar", disse Scott Berkun. Eu completaria: "e editar, e editar e editar ...". O problema está nas reticências. Até quando?

Como não tenho editor, trabalho sem prazo. Já caí na bobeira de colocar um. Três vezes! Agora desisti. Mas entendo que existe 1/2 dúzia de colegas ansiosos pelo meu "primogênito". E é essa pressão - as vezes tácita, de vez em quando explícita - que torna o processo um "pé no saco".

Culpa de quem promete prazos. E não os cumpre!

2 responses to "Escrever é Chato?"

  1. Dependendo do assunto ou tema do livro, o prazo é imperativo.

    antoniofonseca

  2. Oi Antonio,

    Se o livro é sobre a versão X do produto Y, aí sim. Mas e nos outros casos?

    Abraços e obrigado pela participação.

    Paulo Vasconcellos

Leave a Reply